segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Ai, que tesão!

Pode até rolar sem existir um amor verdadeiro e, confesso que já fiz apenas por dinheiro algumas vezes, mas foram poucas, juro!
Até por que, gostoso mesmo é fazer com paixão. Me sinto envolvida, me jogo de cabeça.
Quando termino estou exausta mas, satisfeita na maioria das vezes. Foi assim que me senti em todas as noites da semana passada. Nossa...Que semana, intensa!
Ouvi certa vez, de um cara mais experiente que esse sentimento é um rompante de juventude e, que no futuro, não importa onde, como, nem em que posição eu esteja, vai se tornar mecânico pra mim também.
Preferi não acreditar. Na verdade, espero mesmo que ele esteja errado e, que essa percepção seja apenas de uma pessoa frustrada com sua atual condição de trabalho, que escolheu disseminar seu pessimismo ao invés de buscar outra alternativa de ocupação que lhe gere além de uma renda salarial, a vontade de fazer seu trabalho de maneira eficiente e criativa, seja pela importância dessa atividade ou pela razão pura e simples de que, tudo aquilo que nos propomos a fazer fica mais fácil se encararmos de maneira positiva e com boa vontade.
Quando era quase adolescente ouvi uma professora comentando numa roda de amigos, entre os quais minha mãe estava, que ela gostava de sentir tesão pelo que fazia e, fiquei  me perguntando que palavra era aquela e qual seu significado. Sem conseguir chegar a uma conclusão, resolvi perguntar à minha mãe que evidentemente, conservadora e bem intencionada com a única filha mulher, não quis me dizer do que se tratava. Chamou logo a tal professora de doida e me disse que esquecesse o assunto.
Mal sabia ela que alguns anos mais tarde, mesmo sem a sua explicação, eu entenderia e concordaria com aquela mulher.
Depois de passar uma semana inteira envolvida numa atividade que absorveu tanto de mim como essa última, concluo, não sem ter dormido um sábado inteiro para descansar, que  sentir tesão pelo que se faz, no meu caso é fundamental  e, se não faz bem à pele, certamente faz bem à cabeça.

3 comentários:

Anônimo disse...

Ui, que eu até pensei bobagem...ahahaha!
Fazer o que se gosta, sentir prazer por isso e ainda ganhar por isso?! é bom, né? Mas óh, se tu tiver vocação filantropia quiser doar o teu salário pra mim e trabalhar de graça, fica a vontade, tá?! hauahuahauh

Adorei o texto, ta ficando boa nisso, heim nêga?!
bjs

TonMoura disse...

O texto tá mesmo lindo! Gostei da inteligência e da brincadeira com as palavras, que, se não foi proposital, acabaram dando um tempero mais picante e provocante sem pender pra vulgaridade. Se foi por acaso e simplesmente saiu deve ser porque você é mesmo iluminada.
Ah, e se quiser trabalhar mais e ficar rica, eu caso, tu me sustenta e (quem sabe?) eu ainda cozinho pra Ti. hehehe

Ana disse...

amiga!!!!
sou feita de tesão!!! rsrsrsrs
me identifiquei demais com o texto.
vc escreve super bem, e eu sei que com o tempo vc vai acrescentar algumas coisas bem seu "estilo estilosa", charmoso!
vou visitar sempre!!!