quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Por que será que ainda me admiro?

As circunstâncias chegam de mansinho, vão mudando o rumo das coisas e, refazemos os planos, somos impelidos a reinventar a vida.
Estou fazendo isso agora mesmo e, para a minha vida nova escolhi dois tons:
um branco tranquilizante e neutro- para os momentos em que eu precisar de serenidade e, um mix de cores vibrantes, que me lembrem, quando eu quiser reclamar de outras circuntâncias menos alegres, o quanto viver é bom quando se aprende a ser feliz com o que se tem.
Parece clichê...Bobagem, mas gostar do fácil é que é dificil.

Um comentário:

Patricia Abreu disse...

Olá !

Vi sua mensagem lá no blog, fiquei lisonjeada!

Gostei muito do seu também !

Acho uma terapia colocar tudo que sinto em palavras... fico levinha!

Te visitarei mais vezes!

Beijos